Comemorar a vida

ViverO ciclo da vida do corpo é nascer, crescer, reproduzir, viver e morrer. Assim, a morte do corpo é um fenômeno natural. Apesar disso, ela nos sensibiliza muito, podendo até chegar ao temor. Isto tem algumas causas e pode ser superado. 
Na questão 941 de O livro dos espíritos, os benfeitores espirituais elucidam que, embora falte fundamento para temer a morte, isto pode ocorrer devido a procurarem persuadir de que há inferno e paraíso e que mais certo é ir para o inferno, visto que também dizem que até o que está na Natureza constitui pecado mortal para a alma.
Em O céu e o inferno, cap. II, item 8, Kardec registra que tudo nas usanças concorre para lamentar a perda da vida terrestre e temer a desencarnação. “A morte é rodeada de cerimônias lúgubres”.Existem exéquias na mídia e em algumas religiões que levam a lamentar a morte do corpo e atrapalham o entendimento e a aceitação desse fenômeno natural. 
A conquista e o processo da reencarnação são difíceis e esta, por sucessivas vezes, é necessária para o progresso do espírito, rumo à perfeição e à felicidade plenas, conquistas que o espírito deseja acima de tudo. Por isso, quando estamos no corpo, a sublime providência de Deus do instinto de conservação faz com que “ninguém quer a morte, só saúde e sorte”. como diz na música O que é, o que é. 
Cada um de nós é um espírito que tem um corpo que, inevitavelmente, morre. O espírito é imortal. Jesus nos diz isto, em Mateus, 10:28: “E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma”. Como Ele “Vivia intensamente a mensagem que ensinava, com palavras e exemplos, silêncios e sacrifícios”. depois de Sua morte física, manifestou-se, em espírito, para a médium Maria Madalena e para os apóstolos que, também, eram médiuns. Os fatos positivos das manifestações dos espíritos e relativos à reencarnação não deixam dúvida sobre a preexistência e sobrevivência do espírito ao corpo. Muitas pessoas constatam esses fatos, experimentalmente, por si mesmas. Outras podem, pela lógica e pelo raciocínio, compreenderem que é assim. Por usarem o raciocínio e terem esse consolo, é que são “bem-aventurados os que não viram e creram”.(Jo. 20:29).
Em João, 10:10, Jesus nos diz: “eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância”.E Jesus continua nos protegendo e esperando que creiamos nEle e que guardemos os Seus mandamentos para fazer o que Ele fez e muito mais, o que está em João 14. Lembra o que está na letra da música Sutilmente: “... quando eu estiver morto, suplico que não me mate, não, dentro de ti”.
Como a morte do corpo ainda nos causa tristeza, permitamo-nos o luto, mas com a menor intensidade, e pelo mínimo de tempos, possíveis. Mas não há motivos para temer e nem para comemorar a morte; existem motivos para amar e comemorar a vida. 
Fonte: Departamento Doutrinário da Liga Espírita Pelotense.
Publicado na coluna da Liga Espírita Pelotense – 28 de Abril de 2013 – JORNAL DIÁRIO POPULAR.
 
Acessos: 857
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
INSTITUCIONAL DOUTRINA ESPÍRITA NOTÍCIAS DEPARTAMENTOS CASAS

presidentes
histórico
galeria de fotos antigas
fundar uma casa espírita

artigos
downloads
estudos

jornal
aconteceu
rádio e tv

assuntos da família
assist. e prom. social espírita
comunicação social
doutrinário
infância e Juventude
livraria

AME Pelotas
todas as casas
galeria de fotos
horários

  TERCEIRO MILÊNIO      
  no rádio
na tv
no youtube
no facebook
 

 

 
© Todos os direitos reservados a Liga Espírita Pelotense
Rua Andrade Neves, 981 CEP 96020-080 Pelotas RS Tel (53) 3278-2660