Conhecemos toda sabedoria da máxima “conhece-te a ti mesmo”. Então, interrogando a nossa consciência, ao final de cada dia, passando em revista o que fizemos e o que faltou fazer ou qual motivo teria alguém de se queixar de nós, eis a chave do progresso individual: o auto conhecimento.

O ensino dos Espíritos é eminentemente cristão; apóia-se na imortalidade da alma, nas penas e recompensas futuras, na justiça de Deus, no livre-arbítrio do homem, na moral do Cristo. Demonstrando a existência e a imortalidade da alma, o Espiritismo reaviva a fé no futuro, levanta os ânimos abatidos, faz suportar com resignação as vicissitudes da vida.

Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas. O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.


 

 

Hospital Espírita de Pelotas

hospital_espirita_1Av Domingos de Almeida, 2969
AREAL
Pelotas - RS
(53) 3228-1288
http://hospitalespiritadepelotas.org.br 

Fundado em 12 de dezembro de 1948

Pesquisa baseada no livro História do Espiritismo em Pelotas de Lauro Enderle

 

O Hospital Espírita de Pelotas é considerado uma das maiores obras sociais de Pelotas fundada pelos espíritas locais. Uma obra que honra sob todos os aspectos o Movimento Espírita Pelotense.

Sua história é cheia de fatos marcantes, uma vez que movimentaram, na época, os principais dirigentes espíritas de nossa terra. Ali está hoje um grande patrimônio a zelar pelos seguidores do espiritismo, uma obra valiosa que deve merecer toda a atenção da comunidade e dos espíritas.

Vamos iniciar seu histórico, valendo-nos da ata de fundação que temos em mãos, um xerox das suas três laudas, que resumiremos.

Na manhã de domingo, dia 12 de dezembro de 1948, ata de Assembléia Geral  foi convocada pelo Diretor do Departamento Hospitalar da Liga Espírita Pelotense, João da Rocha Bender, às 10 horas, na sede do Centro Espírita Francisco de Jesus Vernetti, na rua Benjamin Constant, 551.

João da Rocha Bender, idealizador do Hospital Espírita de Pelotas, vice-presidente da Liga Espírita Pelotense, Diretor do Departamento Hospitalar da referida entidade, presidente do Centro Espírita Francisco Jesus Vernetti, inicia a reunião com  vibrante prece, de imediato, convida para tomar parte na mesa os seguintes confrades: Djalma Paulino de Mattos, Amadeu Antonacci, Lauro de  Moura e Cunha e Aristimundo Mendes de Oliveira, ocupando este  último à secretaria da Assembléia. Também ocuparam a mesa  José B. Casagrande, Faustino Costa, Lylia Carboneli, João Zabaleta, Maria Hepp e Juvenal Ivanowski. Presentes neste ato estavam inúmeros convidados, atendendo a seguinte convocação, que foi lida na oportunidade pelo secretário designado, contendo os termos assim estabelecidos:

"Caro senhor e confrade. A primeira fase dos trabalhos pró-Hospital Espírita de Pelotas, está concluída, como seja: aquisição do terreno; discrirminativa com aprovação das repartições legais; orçamento e a doação base de setenta e cinco mil cruzeiros pelo Governo do Estado. Como amigo que sois de obras assistenciais, convidamos-vos para a primeira assembléia pública deliberativa, donde irão sair às comissões organizadoras, desse extraordinário empreendimento espírita, que elevará, sem dúvida, o nome de Pelotas no conceito do país inteiro. Essa será a segunda fase. Contamos com a vossa valiosa solidariedade e indefectível presença. Local: Centro Espírita Francisco de Jesus Vernetti - rua Benjamin Constant, 551. Atenciosamente: João da Rocha Bender, Diretor do Departamento Hospitalar da Liga Espírita Pelotense."

João Bender com a palavra disse ter recorrido aos espíritas pelotenses para Ihes entregar a construção do Hospital Espírita, após consolidada à doação do terreno e do primeiro donativo governamental.

Usou da palavra, na ocasião, Lylia Carbonell Gardelli e Apody Almeida de Oliveira, a primeira com palavras de estimulo para a construção da obra social espírita, e o segundo sugerindo a nomeação de Comissões naquele momento, a fim de atender os vários setores do empreendimento, o que foi logo aceito pela presidência, sendo nomeados diversos confrades presentes e alguns ausentes. Na mesma reunião, em que foi fundado o Sanatório Espírita de Pelotas como inicialmente foi denominado, ficou marcada nova reunião para o domingo seguinte, dia 19, no mesmo local, ficando também marcada a data do lançamento da pedra fundamental da futura instituição, no dia de Natal, 25 de dezembro de 1948, na Avenida Domingos de Almeida, que tomaria o número 2969, quando concluída. O terreno fora doado pela Prefeitura Municipal, na gestão do saudoso amigo dos espíritas, Joaquim Duval.

Há uma foto histórica da fundação do Hospital Espírita de Pelotas, naquela célebre manhã de domingo, dia 12 de dezembro de 1948, que está na secretaria do C. E. Francisco de Jesus Vernetti. Estavam presentes mais de 40 confrades da linha de frente do Espiritismo local.

Na oportunidade, foi também nomeado, por unanimidade, presidente das comissões João da Rocha Bender, tendo este, convidado para secretários os confrades Dante Abreu Martins e Aristimundo Mendes de Oliveira.

No Dia de Natal, um sábado, às 10 horas, 25 de dezembro de 1948, foi lançada a pedra fundamental,  contando com a presença maciça dos espíritas pelotenses, autoridades, convidados e representações das casas coirmãs, através de seus presidentes e diretores,  além de público em geral. Foi orador oficial da solenidade, especialmente convidado para o ato, o ilustre confrade Conrado Ferrari, presidente do Hospital Espírita de Porto Alegre, cuja oração vibrante emocionou a todos os presentes, sendo a mesma impressa, num folheto, do qual temos um exemplar em nossos arquivos.

Presente ao ato, esteve toda a diretoria da Liga Espírita Pelotense, que tinha na época como presidente  Djalma Paulino de Mattos. Há também sobre esse grande acontecimento uma foto histórica na secretaria do Centro Espírita Francisco de Jesus Vernetti, aliás, entidade que desempenhou um papel histórico naquela movimentada fase do Espiritismo em nossa terra.

A obra foi iniciada no principio de 1949, recebendo primeiro os alicerces de todo o canteiro da obra, na sua totalidade de acordo com o projeto,  parando por um certo tempo, tomando novo impulso em 1952, quando o Departamento Hospitalar da Liga Espírita Pelotense tornou-se autônomo, elegendo sua primeira diretoria, que ficou assim constituída: João da Rocha Bender, presidente; Álvaro Barcellos, vice-presidente; Jayme Pinto da Silva e Gastão Fábris, secretários; Heitor Bandeira e Dinarte Tavares, tesoureiros. A seguir, houve o registro dos estatutos, em razão da autonomia da entidade.

A obra continuou crescendo, crescendo, e o irmão Bender lutando contra tudo, contra todos os empecilhos à sua frente, mas sempre com muita  proteção espiritual, principalmente do Espírito Guilherme Reihenberg, Patrono da instituição.

Há um fato que deve ser registrado neste histórico, do qual somos quase testemunha como ouvinte atento: trata-se de uma valiosa doação para a época, isto por volta de 1950, feita pelo extraordinário confrade Moacir Dias, que entregou ao irmão Bender a quantia de setenta mil cruzeiros, este notável irmão que trabalhou quase de graça, como construtor que era na conclusão da primeira ala do Hospital, prestando assim relevantes serviços ao grande empreendimento, foi quem calculou o numero de telhas para a cobertura do prédio: 7.700 telhas.  Moacir Dias, pai de Getúlio Dias, um grande homem uma gratificante revelação no Movimento Espírita de Pelotas.

Em princípio da década de 50, foi secretária da instituição Lylia Carbonell Gardelli, cargo que desempenhou durante dois anos.

E chegou o dia tão ansiosamente aguardado pelos espíritas: dia 31 de março de 1956, data da desencarnação de Allan Kardec, era um sábado, chovia muito na ocasião, mas era grande o número de convidados ali postados, para assistir ao ato de inauguração, que aconteceria às 10 horas.

Presentes cerca de 150 pessoas, médicos, políticos, associados, autoridades municipais, representações diversas, idem de casas coirmãs, bem como de vários confrades de Porto Alegre, como  Hélio de Castro, presidente da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, doutor Pedro Rosa, médico-chefe do Hospital Espírita de Porto Alegre, que foi o orador oficial da solenidade, João Amado Venâncio, vice-presidente do HEPA. Presente também com sua diretoria total o presidente da Liga Espírita de Pelotas, Hormino Francisco Lopes. Na verdade, foi inaugurada somente a ala principal, à direita, ficando a esquerda quase concluída, mas ainda levaria alguns meses. De qualquer forma, eram 25 leitos dispostos em quartos separados, para o atendimento inicial dos doentes mentais. Como médico-chefe respondia pelo atendimento o doutor Jamil Abuchaim, contando já com alguns enfermeiros. A diretoria que inaugurou o Hospital, era composta dos seguintes confrades: João da Rocha Bender, presidente; Zaíra Silva Bender, vice-presidente; Gastão Fábris e Augusto Santana Azevedo, secretáRios; Javme Pinto da Silva e Pedro Pedrotti Filho, tesoureiros, e o doutor Jamil Abuchaim, como diretor técnico.

O Hospital Espírita de Pelotas tem como lema desde a sua fundação o seguinte conceito: "A Caridade sem visar proselitismos religiosos, filosóficos ou político".

Colaborou com verbas, a ex-deputada estadual Pelotense, Suoly Gomes de Oliveira.

O Hospital Espírita de Pelotas é um monumento de arquitetura, inclusive sua fachada antiga foi modificada para melhor, em cuja parte externa, na lateral esquerda, foi inaugurada uma placa em 1973, comemorativa aos 25 anos de fundação da entidade, como homenagem aos fundadores.

Sua capacidade é de 200 leitos, e está dotado de recursos modernos para a recuperação do doente mental, sendo considerado de primeira categoria pela Comissão Estadual de Fiscalização de Hospitais.

O Hospital Espírita de Pelotas, é muito bem aparelhado,  na década de 60 foi inaugurado um amplo Ginásio de Praxiterapia, localizada na parte térrea uma moderna lavanderia, a cozinha é também das mais bem aparelhadas, possui ainda: campo de futebol e uma grande sala de conferências, para aulas e reuniões de diretoria.

Mantém o Hospital, cerca de uma centena de funcionários remunerados, a fim de atender os vários setores e o bom atendimento, o corpo médico, é dos mais capacitados, sob a chefia do doutor Darcv Abuchaim.

A área ocupada, de propriedade da entidade, é de aproximadamente quatro hectares, num total de 40.000 metros quadrados.  Algum tempo depois, foi adquirido um terreno ao lado,  com 40 metros de frente e, mais tarde, um outro terreno contíguo a este, com 29, metros de frente, o que dá hoje um total de 165 metros de frente, por 250 metros de fundos.

No terreno, ao lado direito da instituição, foi construído um magnífico prédio, moderno, destinado especialmente ao Centro de Estudos, Pesquisas e Práticas Espíritas, conforme o adendo acrescentado aos estatutos em Assembléia Geral quando da sua aprovação.

Essa magnífica obra, foi inaugurada em seis de julho de 1979, uma sexta-feira, com uma festiva solenidade, realizada à noite, presentes grande número de espíritas, representações, convidados, autoridades, que lotaram suas 250 cadeiras dispostas no amplo salão destinado para conferências. E ali funciona semanalmente como é chamado o Departamento Espiritual Fonte para a Vida, com atendimento ao público em dias e horários determinados.

O Hospital Espírita de Pelotas, é considerado de Utilidade Pública Municipal, Estadual e Federal, e é filiado à Liga Espírita Pelotense e à Federação Espírita do Rio Grande do Sul.

Ilustres figuras da Doutrina Espírita revezam-se ali na parte administrativa, no ano de 1984, ocupando a presidência José Júlio de Mattos, como vice-presidente os confrades Nélson Medeiros e Ivo José Louro Fagundes, com secretários José Vitoriano Pereira e Sidnei Mancini e na tesouraria Gládio Prestes Moraes, que acumula a função de Administrador Geral.

Vamos citar aqui uma relação de confrades que tiveram destacada atuação no Hospital Espírita de Pelotas, ao longo dos tempos, como membros de diretoria: Allan Kardec Brasil da Gama, que foi presidente; Heitor Morales Bandeira, também presidente; Ney do Amaral Lamas, Augusto Santana de Azevedo, Frederico Müller Júnior, Wilson Coelho, Marcos Evangelista da Rosa, Manoel Pinto Tavares, Dirceu Barreto dos Santos, Nélson Granada, José Martins, Fernando Lopes Pinheiro, Edgar Muniz e Silva, além de outros companheiros sempre voluntários e dedicados.

Embora não pertencendo à diretoria, um irmão que muito co-laborou com a instituição foi Paulo Paula Lisakowski, que foi administrador geral durante alguns anos, como funcionário do Hospital. Outro valor ali é Aldrovando Silveira Borges, enfermeiro-chefe, desde o tempo de João da Rocha Bender,  colaborando com todo o movimento do Hospital, também como funcionário. Ambos os funcionários foram sempre atenciosos com todas as pessoas que visitavam a instituição e prestando todas as informações relativas ao Hospital.

Presidiram o Hospital Espírita de Pelotas:

João da Rocha Bender

Alan Kardec Brasil da Gama

Heitor Morales Bandeira

José Julio de Mattos

Nelson Duarte Medeiros

Nelson Moraes Granada

Clóvis Toaldo

Paulo Moreira dos Santos

Vera Lucia Bonifáciuo Arndt

Ligia Oliveira Barun

Domingos Ramos Costa

Ely Veleda Bittencourt

Atualmente o HEP como é conhecido é especializado em saúde mental, proporcionando atenção integral aos pacientes que apresentam sofrimento psíquico, depressão, ansiedade, psicose, agitação psico-motora, alcoolismo, dependência de drogas e outros transtornos mentais. As atividades terapêuticas são desenvolvidas por equipes multidisciplinares compostas por médicos psiquiátricos e clínicos, enfermeiros, psicólogos assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, recreacionistas e outros.

O HEP possui 199 leitos, com pacientes da cidade de Pelotas e das cidades vizinhas.

Atualmente o Hospital consta com o labor profissional de 216 funcionários distribuídos em funções das áreas técnico-médica e administrativa.

Os componentes da diretoria e colaboradores não recebem nenhum tipo de remuneração ou pró-labore.

O Hospital possibilita a comunidade à oportunidade de desenvolvimento de estágios voluntários e acadêmicos a estudantes da  Universidade Católica  e Universidade Federal de Pelotas. O paciente do hospital recebe cinco refeições por dia, além dos serviços de hotelaria, lavanderia e medicação.

2008 - Hospital Espírita de Pelotas – 60 anos de História – é o titulo do livro escrito por Gilka Santos Silveira como parte da programação das festividades na comemoração dos sessenta anos de nobres atividades.

A  Ala Recanto, foi inaugurada em novembro de 2004, para receber pacientes conveniados e particulares. Este espaço foi ampliado e modernizado, inaugurado em março de 2010.

“Nesta cruzada em defesa do doente mental, o Hospital Espírita de Pelotas vem cumprindo, com louvor, seu desiderato”.

Acessos: 12530
INSTITUCIONAL DOUTRINA ESPÍRITA NOTÍCIAS DEPARTAMENTOS CASAS

presidentes
histórico
galeria de fotos antigas
fundar uma casa espírita

artigos
downloads
estudos

jornal
aconteceu
rádio e tv

assuntos da família
assist. e prom. social espírita
comunicação social
doutrinário
infância e Juventude
livraria

AME Pelotas
todas as casas
galeria de fotos
horários

  TERCEIRO MILÊNIO      
  no rádio
na tv
no youtube
no facebook
 

 

 
© Todos os direitos reservados a Liga Espírita Pelotense
Rua Andrade Neves, 981 CEP 96020-080 Pelotas RS Tel (53) 3278-2660